Fui demitido mais uma vez, mas desta vez não considero um fracasso.

Aprendi a cortar cebolas, a controlar o fogo do fogão e a fazer coxinha. Eu amo coxinha, sim. Descobri na culinária algo diferente e logo, o que eu fazia antes não faz mais sentido. Ser demitido é uma sensação ruim, você é um inútil e seu empregador não te quer mais. É um gosto amargo, um arroz que queimou e é inútil, completamente inútil. Sim, eu era o arroz queimado daquela equipe de vendas e meu maior mérito foi ter terminado os Resident Evil do Ps1 num emulador no celular.

Daí fui demitido por não bater as metas.

E ser demitido trás enormes problemas, principalmente o de arranjar um novo emprego, mas, pensando bem, prefiro vender minhas coisinhas, quem sabe cozinhar para ganhar um dinheiro e fazer algo que me deixe verdadeiramente feliz. Em anos eu não sentia uma felicidade tão plena e, sei que o momento é esse. Sei que apesar das incertezas da vida, e das metas que mudaram em demasia no decorrer da vida, aqui, o presente se torna algo mais harmônico.

Sim, serei amargo, o gosto amargo é o mais complicado para se trabalhar e eu sei que não sou uma pessoa fácil e sei que tentar tudo de novo não é fácil também. Mas eu aprendi a lutar e agora com um propósito. Agora o amargo será aquele toque de mestre que trará a atenção para o prato como um bom baixo tocado.