Quarta-feira de Cinzas.

É uma droga por completa você cortar a mão com vidro. Além de ficar uma cicatriz horrível, arde. Arde ainda mais se, no corte, estiver a sujeira de uma água pútrida de esgoto. Claro que se isso tivesse acontecido há uns 100 anos, eu teria perdido esta mão com certeza. Rezar a Deus!? O cara que descobriu o antibiótico, ou esbarrou com muita eficiência em um vidrinho que caiu num outro vidrinho, que deveria ser canonizado.

Lembrei do que Rebeca falou: “ele deveria ser Calolizado”. Comecei a rir e minhas costelas doeram.

Me preocupo com Rebeca, ela está no banco do passageiro em pior situação. O corte em sua testa pareceu ser bem feio, ela está com um braço quebrado, certeza, e o sangue pinga no vidro partido. Ela deve ter batido a cabeça muito forte, apesar do cinto de segurança. Santo cinto. Eu tinha lido em algum lugar que George Cayley tinha sido o inventor. Não sei, estou de cabeça para baixo numa autoestrada, com o rosto cortado e a mão sangrando. Tem garrafas de bebidas vazias pelo carro inteiro e estou torcendo que os paramédicos, se é que vão chegar, não façam um exame de sangue em mim. É provável que encontrem algum sangue no álcool que corre nas minhas veias.

Droga. A mãe de Rebeca vai ficar puta comigo. Principalmente porque ela não sabe que Rebeca está comigo. Retiro da igreja… tá bom. Se Rebeca pisou em algum retiro da igreja, ela teria errado o endereço.

Não consigo parar de pensar no jornal apurando as estatísticas. Porra, vou virar um número também. Eu queria estar desacordado igual a Rebeca, mas Deus e o Diabo têm um trato em me fazer sofrer o máximo possível. Penso que se abrir o cinto e me arrastar para fora seria mais fácil pedir socorro. Acho que não quebrei nada, então dá para abrir este cinto…

Sim, não foi uma boa ideia. Eu cai de cabeça de uma altura pequena, mas devo ter batido em uma pedra e comecei a sangrar. Também está ardendo. Minha vista está um pouco turva. Que merda, eu acho que conseguiria pisar em uma mina enterrada no deserto. Me arrasto no vidro, consigo sair pela janela. Pelo estado que ficou o carro dou graças a Deus por ele não ser meu.

Começo a ouvir o barulho da ambulância. Sempre tem um anjo que chama. Estou sentado no meio fio. Estou um pouco zonzo. A bolsa de Rebeca está fácil de ser pega no banco de trás. Estico meu braço e consigo puxá-la com facilidade, dou uma olhada dentro, se ela tiver dinheiro vai ser uma boa, porque eu perdi meus cigarros e estou doido para tomar uma cerveja. Pego um exame de gravidez. Quem guarda isso na bolsa? Rebeca mijou neste palito.

Ah, o resultado, positivo, claro.